Brasil: A última cruzada


Brasil: A última cruzada

Bem vindo ao Brasil: um país sem pé nem cabeça. Um Estado fundado para a exploração portuguesa. Uma terra tão inabitável, que a família real de Portugal só para aqui veio para fugir da fúria de Napoleão. Uma terra administrada por um rei rechonchudo, preguiçoso e comedor de coxinhas; e com uma independência adquirida por um príncipe mimado, montado em uma mula com diarreia. Certo? Errado. Absolutamente errado.

A última cruzada

A última cruzada é a nova empreitada da equipe Brasil Paralelo, responsável pelo estrondoso sucesso, o Congresso Brasil Paralelo. Trata-se de um projeto independente e com financiamento 100% privado, produzido com o dinheiro dos que compram o direito de ser membro do projeto.

Neste novo e ambicioso projeto, a equipe da Brasil Paralelo toma para si a enorme responsabilidade de contar a verdadeira história do Brasil, uma nação injustamente vista como a terra da farra, o país do futebol, com um povo corrupto que a tudo dá seu “jeitinho”.

A série é gratuita e construída com base em entrevistas com especialistas de grande renome, como o cientista político e best-seller Bruno Garschagen; os historiadores Thomas Giulliano e Jorge Caldeira; e mesmo membros da família real brasileira, como Dom Bertrand e Dom Duarte Pio de Bragança.

Contando o verdadeiro Brasil

Um homem nasce como uma tela em branco, pronta para ser preenchida. Entretanto, cada homem que um dia nasceu, não nasceu cercado de vazio, tendo de recriar sentidos e significados para o mundo, como se nada houvesse existido antes de si. E aqui nasce o diagnóstico que orientará a série a Última Cruzada.

Se hoje há um Brasil, não é meramente porque desembarcaram caravelas portuguesas a um porto seguro na recém descoberta Terra de Santa Cruz em 22 de abril de 1500. Se hoje há brasileiros, não é só porque nascemos dentro dos limites territoriais da terra onde “se plantando, tudo dá”.

A história da civilização brasileira é muito anterior ao que possamos conceber sem observamos de forma atenta: somos o fruto da filosofia grega, herdeiros da moral judaico-cristã, e nos sustentamos sobre as instituições romanas.

Episódios

No primeiro episódio da série, “A Cruz e a Espada”, somos transportados ao século VIII, quando aprendemos sobre nossos antepassados portugueses e sobre como lutaram com unhas e dentes contra a invasão moura à Península Ibérica, processo que levou Portugal a se formalizar como o primeiro Estado de Medieval séculos antes de seus pares, como França e Inglaterra.

Assim entendemos como isso influenciou Portugal econômica e culturalmente, mas, especificamente, entendemos sobre como se formou concepção ideal do heroísmo português e quais as consequências destas influências no lançamento das enormes navegações exploratórias.

Capítulo 1 – A Cruz e a Espada | Brasil – A Última Cruzada HD

No episódio 2º, “A vila rica”, somos apresentados às histórias da organização territorial e governamental após o descobrimento do Brasil, a divisão das capitanias hereditárias, a influência dos homens do poder, como Tomé de Souza.

Aqui, percebemos o contexto da formação do Brasil e do brasileiro: a catequese, a exploração do ouro, a vinda do Marquês de Pombal e seus conflitos com os jesuítas e sua posterior empreitada pela centralização do ensino e do poder, culminando em uma série de crises, revoltas e conflitos, como a Inconfidência Mineira.

Capítulo 2 – A Vila Rica | Brasil – A Última Cruzada

“A guilhotina da igualdade” é o nome do 3º episódio, sendo uma referência aos acontecimentos do final do século XVII e início do século XVIII, quando o ideal iluminista motivou a Revolução Francesa, uma luta por liberdade e fraternidade que resultou na igualdade pela guilhotina. Para ambos os lados da história.

A expansão do Império Francês, a manobra de Dom João VI para preservar Portugal, a declaração de independência dos Estados Unidos e as mudanças políticas e econômicas das conquistas Napoleônicas são elementos explorados pelo episódio.

A Guilhotina da Igualdade – Série Brasil – A Última Cruzada

Por fim, o capítulo 4º recebe o nome de “Independência ou morte” e retrata os acontecimentos que cercaram o período da proclamação da Independência, em 7 de setembro de 1822. Aqui, José Bonifácio, que testemunhou em pessoa os acontecimentos referentes ao episódio 3º movimenta a população civil no sentido da permanência de Pedro I no Brasil.

Destacamos a atuação de Bonifácio neste conturbado período da história brasileira que, tendo vivido o terror causado pela Revolução Francesa, prezou pela estabilidade política e social e arquitetou a independência do Brasil, razão pela qual pode ser considerado como um de nossos “Pais Fundadores”.

Episódio 4 | Independência ou Morte – Série Brasil – A Última Cruzada

Faça parte do Brasil Paralelo

Como dissemos, a produção de A Última Cruzada só foi possível graças aos membros que se associam e financiam ao projeto, permitindo uma construção independente das grandes mídias, de partidos e do Estado.

Você também pode contribuir. Faça parte! A equipe Brasil Paralelo oferece planos acessíveis para que você se torne membro e acesse centenas de horas de conteúdos exclusivos não inclusos nos documentários; além de acesso a um fórum exclusivo de discussões e acesso aos eventos organizados pela Brasil Paralelo. Associe-se já!